Anúncios

Arquivo

Posts Tagged ‘PEGN’

Pequenas Empresas Grandes Negócios, hoje (16) máquina que troca moedas por cédulas

Em São Paulo, um empresário criou uma máquina que recolhe moedas e as recoloca em circulação. O ‘Pequenas Empresas & Grandes Negócios’ deste domingo (16/07) avalia a ideia e explica como a solução tem ajudado tanto o mercado, que sofre com a falta de moedas, como as pessoas que as guardam e depois não têm onde trocá-las. As máquinas podem ser encontradas espalhadas pela cidade e não cobram taxas pelo uso, além de incentivar a preservação do meio ambiente com mensagens motivadoras.

O combate ao preconceito também é tema da edição. Na capital paulista, uma dona de oficina de informática conserta e doa computadores que seriam jogados fora para estudantes negros e de baixa renda. A iniciativa da empresária, que diz já ter sofrido preconceito, ganhou destaque em uma premiação na Alemanha este ano. A reportagem apresenta ainda um jovem de uma empresa de informática, que tem aderido ao combate ao preconceito para melhorar a realidade das minorias no mercado de trabalho. “Aqui é um ambiente seguro pra todo mundo. Caso você seja uma pessoa muito diferente, a gente vai tratar você como igual”, diz ele.

No quesito inovação, dois jovens do interior de São Paulo comemoram o sucesso de uma ideia simples, mas com grande potencial. Os empresários criaram uma caixa de pizza que pode ser destacada e usada como suporte para as fatias, permitindo que a massa seja consumida sem a utilização de pratos e talheres. O ‘PEGN’ mostra os detalhes dessa invenção que pretende facilitar a forma como o brasileiro consome alimentos em pedaços.

O ‘Pequenas Empresas & Grandes Negócios’ vai aos domingos, logo após o ‘Antena Paulista’, em São Paulo, e depois do ‘Globo Comunidade’ no restante do Brasil.

Anúncios

PEGN, hoje (22) oportunidades nos ramos de casamento e reformas

Casamento e reforma de imóveis são duas coisas que envolvem gastos, sonhos e, na maioria das vezes, muita dor de cabeça. De olho nas oportunidades nesses segmentos, dois empresários resolveram investir pesado após identificar necessidades dos clientes.

Carina Rosin trabalhava como personal trainner quando sua cunhada, prestes a se casar, pediu ajuda para entrar em forma e conseguir usar o vestido dos sonhos no casamento. O projeto deu tão certo que outras noivas começaram a procurar pelo “serviço” de Carina.

No “Pequenas Empresas & Grandes Negócios” deste domingo (22), ela conta que a equipe ganhou o reforço de uma nutricionista e mais uma professora. Atualmente, o faturamento chega a R$ 50 mil por mês.

No quesito reforma, Fernando Canuto se aliou à tecnologia para prestar um atendimento especializado na reforma de casas e apartamentos. Por meio de uma plataforma online, o cliente consegue fazer o projeto, contratar prestadores de serviço e o acompanhar os trabalhos que estão sendo realizados.

A partir do projeto montado no site, a empresa vai atrás dos prestadores de serviços, que são contratados num sistema de leilão reverso – o fornecedor com o menor preço e melhor prazo ganha a obra. O faturamento da plataforma é uma porcentagem do valor total da reforma, atingindo R$ 2 milhões no ano passado.

O especialista em varejo Sérgio Molinari explica que esse conceito pode ser aplicado em pequenos negócios. Cícero Cunha inovou ao fazer de sua peixaria um misto de venda e bar-restaurante. Ali, as pessoas podem comprar o produto e levar para casa ou pedir para preparar e consumir no local.

O programa conta ainda a história de Anaíra Costa Mariniello, uma psicóloga que largou a profissão para ajudar o pai em sua lavanderia e que precisou de mais de 200 horas de consultoria no Sebrae de Mato Grosso do Sul.

O ‘Pequenas Empresas & Grandes Negócios’ vai ao ar todos os domingos pela manhã, logo após o ‘Antena Paulista’, em São Paulo, e após o ‘Globo Comunidade’, no restante do Brasil.

Pequenas Empresas Grandes Negócios,hoje (24) marcenaria especializada em peças de madeiras para gatos

PEGN-Sustentabilidade gera renda para o mercado de moda, hoje 13-05

Um guarda-roupa com marcas de luxo é, para alguns, sonho de consumo. O preço das peças muitas vezes impede os apaixonados por grifes de comprar roupas, bolsas e acessórios de grandes marcas. Porém, o ‘Pequenas Empresas & Grandes Negócios’ deste domingo (24/04) mostra como a empreendedora francesa Juliana Lucki buscou uma alternativa para quem quer gastar menos na hora da compra. Há três anos, abriu um brechó online de luxo e vende bolsas usadas. Com o investimento inicial de R$ 10 mil, o empreendimento chega a faturar R$ 50 mil por mês na venda desse acessório.

Para evitar a realização de um investimento alto em um produto sem saber se existe mercado disponível, uma dica é a prática do MVP, sigla que significa “Produto Mínimo Viável”. O método funciona como um teste antes da criação de uma startup. No caso do empresário Leandro Scalize, o MPV foi essencial para mapear seus clientes. Ele e o sócio construíram um software para auxiliar na melhoria na classificação de aplicativos nos rankings de app stores e precisavam de uma garantia de consumidores para o produto. Cinco meses após aplicar esse sistema, a empresa tem 90 clientes em cinco países.

Também no assunto tecnologia, a edição conhece a história de Bruno Bergamo, o criador de um aplicativo para crianças de 3 a 4 anos, com funcionalidade de brinquedo. Nessa brincadeira, o celular se camufla de bicho de pelúcia e tem ações interativas com as crianças.

De brinquedo para crianças a entretenimento para os animais de estimação, o programa conversa com Fernanda Prado, dona de uma marcenaria especializada em peças de madeiras para gatos. A inspiração veio quando seu gato precisava se movimentar para se recuperar de uma doença e ela não encontrou muitas opções. Assim, criou o primeiro brinquedo para entreter o bichano dentro do próprio apartamento.


Um dos temas mais falados atualmente, a economia circular também está em pauta neste domingo. Esse é um conceito de sustentabilidade que procura resgatar itens que seriam descartados e os insere novamente na cadeia produtiva. Um exemplo de economia circular é a empresa de Cláudia Schalka. Todos os meses, ela recebe, por doação, cerca de 100 toneladas de tubos de pasta de dente, e recicla o alumínio e plástico desse produto, transformando-os em placas e telhas, que serão novamente vendidos no mercado.


O ‘Pequenas Empresas & Grandes Negócios’ vai ao ar todos os domingos pela manhã na TV Globo, logo após o ‘Antena Paulista’, em São Paulo, e após o ‘Globo Comunidade’, no restante do Brasil.

“Pequenas Empresas Grandes Negócios” apresenta rede de fast food vegetariana neste domingo, 17

PEGN-Sustentabilidade gera renda para o mercado de moda, hoje 13-05

A organização de uma empresa e seus processos pode ser o caminho para o sucesso ou, então, para a falência. O ‘Pequenas Empresas & Grandes Negócios’ deste domingo (17/04) conta o caso de Eliane Donini e Rodrigo Marcusso, donos de uma empresa de eventos, que não souberem gerenciar bem seu estoque e quase perderam tudo. Com quantidade exagerada de produtos e falta de controle, eles tiveram um grande prejuízo. Com a reestruturação, R$ 500 mil foram liberados para investimentos em outras áreas da empresa e o faturamento em 2015 chegou a R$ 3,5 milhões.

Os empresários Frederico Ribas e Carla Oliveira buscaram ajuda do Sebrae, no Distrito Federal, para encontrar o rumo na fabricação de vidros e esquadrias. Apesar da desaceleração da economia, a empresa tem planos de crescer porque conseguiu se organizar: as etapas de produção têm setores definidos; a produtividade aumentos de 80 para 120 janelas por dia; e toda a equipe interna passou por treinamento em 2015.

Ainda no programa exibido na TV Globo, uma ideia que surgiu como alternativa para pagar uma viagem de férias acabou se tornando uma rede de fast food vegetariana. Contando apenas com R$ 50 reais que ganhou da avó, Raphael Kras começou a vender um hambúrguer de soja frito com queijo, mostarda e ervas nas praias do Rio de Janeiro. Depois de quatro anos, ele percebeu que produto tinha potencial para se tornar algo muito maior e abriu a primeira loja. Com dois sócios e investimento de R$ 150 mil, deram início a uma rede que hoje conta com duas lojas próprias e quatro franquias. Eles oferecem não só o hambúrguer que ficou famoso na praia, mas também saladas vegetarianas, chás naturais e bolinhos de legumes, e nada é frito.

No momento em que tanto Rosangela Almeida como o marido, Agnaldo Guilherme, ficaram desempregados, eles encontraram uma alternativa prática e barata para recomeçar a vida. Com investimento de R$ 6.500 em uma máquina de estampar brindes e R$ 500 em materiais, o casal está há três meses trabalhando nos fundos de sua casa e, até o momento, já recuperou cerca de 70% do que investiram.

Para quem quer estar presente no mercado online, um caminho é o marketplace, sites que parecem shoppings virtuais. Assim, o pequeno empresário expõe seus produtos e sua marca, sem precisar montar um e-commerce próprio. Para ter espaço nesse enorme mercado online, é importante ter empresa aberta e estar com toda a documentação em dia. E atenção: o tráfego é intenso nesses sites e é preciso estar preparado pra atender à demanda.

O ‘Pequenas Empresas & Grandes Negócios’ vai ao ar todos os domingos pela manhã, logo após o ‘Antena Paulista’, em São Paulo, e após o ‘Globo Comunidade’, no restante do Brasil. 

Pequenas Empresas Grandes Negócios, hoje (31) dicas para quem perdeu emprego e quer empreender

PEGN- Novas tecnologias valorizam o mercado de fotos, hoje

O ‘Pequenas Empresas & Grandes Negócios’ deste domingo (31/01) traz histórias inspiradoras e dicas de especialistas para abrir uma empresa. O foco são os profissionais demitidos na atual crise econômica, gente que tentou uma recolocação no mercado, mas não conseguiu e decidiu se tornar dono do próprio negócio. “É preciso se preparar para este salto”, alerta a consultora Solange Matar Machado.

A profissional explica que a necessidade é um ótimo impulso para um ex-funcionário virar patrão, mas é importante ficar atento sobre como investir. Ela ainda enumera alguns cuidados como a redução de gastos pessoais, a venda de bens (como o carro), o uso de apenas 25% do dinheiro da rescisão, a reserva de 25% para capital de giro e 50% para gastos pessoais, a importância do fluxo de caixa e o estudo do mercado para conhecer a concorrência e os riscos.

Após tentativas frustradas de se recolocar no mercado da indústria automobilística, Evandro Moreira Nunes decidiu investir 120 mil reais, um terço do dinheiro da rescisão, para montar uma franquia de óculos de sol. Mesmo tendo formação em administração de empresas, Evandro estudou muito para dar este passo.  Assim, o ex-coordenador de projetos de uma montadora no ABC Paulista virou empresário no ramo de moda.

Já a ex-gerente de RH Denise Piantola fez o contrário: ela investiu todo o dinheiro da rescisão para começar uma sociedade com uma amiga. A dupla abriu um negócio de pipoca gourmet, num bairro nobre em São Paulo, mas logo a empresa ficou sem capital de giro. O faturamento não cobria nem o aluguel de cinco mil reais. O limite foi quando a sócia decidiu sair do negócio. Após uma drástica redução de custos com a ajuda do marido, o negócio decolou e, atualmente, comercializa entre oito e dez mil embalagens do produto para empórios.

O ‘Pequenas Empresas & Grandes Negócios’ vai ao ar aos domingos pela manhã, logo após o ‘Antena Paulista’, em São Paulo, e após o ‘Globo Comunidade’, no restante do Brasil.