Archive

Posts Tagged ‘marcelo rezende’

Silvio Santos fará proposta irrecusável à Marcelo Rezende, afirma jornalista

Marcelo Rezende
Marcelo Rezende é dono de um dos maiores ibopes da Rede Record atualmente, e também o maior empecilho de Silvio Santos. Rezende consegue, em 3 horas de programa, salvar o ibope da Record e não deixar o SBT tomar a vice liderança na média diária. Para James Akel, o ibope de Rezende só não é maior a ponto de ultrapassar a Rede Globo, por que um certo grupo de pessoas rejeita a TV Record por razões de rejeitar os bispos da Universal, em outra emissora essa rejeição não existiria.

Foi pensando nisso que, segundo o jornalista James Akel, Silvio pretende fazer uma proposta irrecusável a Marcelo Rezende. O homem do baú pretende investir pesado no Jornalismo de sua emissora em 2014, com isso, estaria disposta a pagar a bagatela de R$800 mil por mês para ter Marcelo Rezende em seu casting, atualmente na Record, Rezende ganha algo em torno de R$300 mil mensais.

Vale lembrar que nos anos 1990, com o Aqui Agora, o SBT chegou a bater a novela das 6 da Rede Globo, tentaram resgatar o Aqui Agora em 2008, mas foi um fracasso no ibope e saiu do ar meses depois de sua estréia.

Silvio garantiu que o “SBT Notícias” não iria sair do ar definitivamente, saiu apenas para umas férias. Ainda segundo James Akel, as negociações andam sendo feitas no salão do cabeleireiro Jassa e o próprio Silvio Santos estaria à frente da negociação, e esse seria o motivo para Silvio ter adiado o início de suas férias, que é geralmente no período de seu aniversário(12/12), neste ano, porém, ele só irá sair de férias no dia 26/12. Parece que o patrão está mesmo disposto a tirar Marcelo Rezende da Record.

Vídeo: Estrevista de Guilherme de Pádua para o “Domingo Espetacular” (09/12/2012)

Repórter Record investiga e mostra o drama dos acumuladores compulsivos

O que leva uma pessoa a acumular coisas? Pior: o que leva uma pessoa a acumular coisas que não tem a mínima utilidade? Revistas, jornais, utensílios domésticos, brinquedos, ferramentas e tudo mais do que pode ser produzido pelo homem. Alguns objetos são necessários. Mas e os que não são? Qual o sentido de guardar dentro de casa? No Repórter Recorddeste domingo (18), Marcelo Rezende investiga os casos de pessoas que tem a compulsão de acumular coisas, mesmo sem ter uma real necessidade de uso.

Você vai conhecer a história do homem que tem compulsão por guardar informações. Revistas, livros, jornais, fica tudo espalhado pelos cômodos. Nem dá para andar pela casa. Ele sofre de uma espécie de distúrbio organizacional. E a família sofre junto. A mulher não pode convidar amigos para jantar. Até a simples tarefa de descer uma escada se transforma em um risco. Já a filha vive trancada no quarto e diz que não se sente confortável dentro da própria casa. E o pai é tão doente que chega a vasculhar o lixo da filha toda semana, para ver se algo pode ser guardado. A crise familiar chegou a tal ponto que a mulher deu um ultimato: ou ele limpa a casa, ou vai embora. O pior é que ele admite que não vê uma luz no fim do túnel. E a mulher também não acredita em mudança. Sabe que o marido é doente. Um médico contratado pela família sentencia: esse é um trabalho que pode levar anos.

Em outro caso, a história do casal que perdeu a guarda dos filhos. Eles viviam em tamanha bagunça que hoje as crianças vivem com os avós, por determinação da Justiça – que ainda exigiu um tratamento psiquiátrico para a mulher. O marido diz que a mulher tentou melhorar a organização da casa. Mas simplesmente não conseguiu. Ela é o que se chama de consumidora compulsiva: adora comprar, mesmo sem ter necessidade, por ter um desejo incontrolável. Perante uma liquidação, ela simplesmente não resiste. O resultado é que hoje a casa parece um campo de batalha. A escada foi transformada em depósito de lixo. Na sala é preciso encontrar o caminho por onde passar, entre montanhas de objetos. Uma obsessão que está soterrando um casamento de 25 anos. Até a cama onde o casal dorme está cercada por roupas e objetos. Muitas das compras ainda estão lacradas e com as etiquetas – ou seja, ela só comprou, não usou. E a montoeira de lixo dentro de casa chegou a juntar ratos! É tanto entulho que nem dá para entrar nos quartos – simplesmente, não há onde colocar o pé. O que vai acontecer com essa família? Será que o casamento resiste a uma doença tão grave?

Você também vai conhecer a história da mulher que não acha que acumula coisas, mas sim que “salva” objetos. O detalhe é que o pai dela era lixeiro e sempre trazia para casa objetos encontrados na rua. Um legítimo hábito herdado da família. Casada há 46 anos, ela teve cinco filhos. Só que o marido é alcoólatra e foi internado várias vezes por esquizofrenia. Com os filhos criados, ela diz que se sente sozinha e usa as compras para ter o que fazer. Hoje diz que a única fonte de felicidade é a compra. De tudo o que aparecer pela frente. As coisas estão sempre lá – a família não. Hoje as montanhas de objetos ficam espalhadas até pelo quintal. Um verdadeiro jardim de sucata. O casal chegou a ser expulso diversas vezes dos apartamentos que alugava. E acabou tendo que se mudar para um hotel. Dois meses depois, o dinheiro estava acabando e uma decisão se fazia necessária: limpar definitivamente a casa, ou morar na rua. Uma decisão que parece fácil de ser tomada, mas não por acumuladores compulsivos.

O drama dos acumuladores compulsivos. Neste domingo (18), no Repórter Record, logo depois doDomingo Espetacular.

Repórter Record deste domingo (11) mostra como funciona o mercado do sexo

Sexo, dinheiro, drogas, exploração. No Repórter Record deste domingo (11), entramos no mundo da prostituição, do glamour das boates caras ao sexo barato das bocas de lixo.

Popularmente conhecida como a profissão mais antiga do mundo, a prostituição é um negócio lucrativo no Brasil: movimenta cerca de R$ 500 milhões. Em cidades como São Paulo, encontrar uma profissional do sexo pode ser tão fácil quanto encontrar uma padaria.

E é na maior cidade do país que não faltam exemplos de como tudo funciona. Regiões cercadas de luxo no passado, hoje abrigam prostitutas, travestis, traficantes e criminosos. Cinemas pornográficos, casas de sexo ao vivo, tudo é movido pela excitação.

Em plena luz do dia, verdadeiros condomínios do prazer. São prédios onde a prostituição acontece abertamente, em todos os andares. Você vai acompanhar a difícil rotina de garotas que só passam a embolsar algum dinheiro a partir do quinto cliente do dia. O resto fica com o “dono” do quarto.

O mundo do sexo rápido e descartável esconde muitos perigos. Como as DST, doenças sexualmente transmissíveis. Você vai conhecer a garota de programa que por muito tempo foi seduzida pelo dinheiro e pelo vício. Encantada com a agitação dessa vida, ela passou por cima até mesmo de cuidados básicos de saúde, como o uso de preservativos.

A vida na noite, feita de altos e baixos. Conhecemos a mulher que já foi rica, fez faculdade, casou e teve filhos. Mas a vida desandou e ela perdeu tudo. Hoje, vende o corpo para manter o padrão de vida. Chorando, ela admite: “queria tirar todas as garotas de programa da rua”.

Essas e outras histórias reais sobre o mercado do sexo, Marcelo Rezende vai contar neste domingo (11), no Repórter Record, logo depois do Domingo Espetacular.

Repórter Record percorre 10 mil quilômetros em busca das crianças órfãs do planeta

Quatro crianças órfãs de pai e que foram abandonadas pela mãe; outras sete crianças que são cuidadas pela irmã mais velha, de 17 anos; a menina de 13 anos que roda mais de 200 quilômetros por dia, para receber R$ 200 no final do mês; as crianças albinas que são perseguidas na África por crendices populares; no Repórter Record deste domingo (14), Marcelo Rezende mostra como é a triste vida de crianças abandonadas em diversas regiões do planeta. Nossas equipes percorreram mais de dez mil quilômetros para contar essas histórias.

Você vai acompanhar o sofrimento das quatro crianças que foram abandonadas pela mãe, sendo que já tinham perdido o pai de maneira trágica. São quatro meninas e meninos largados à própria sorte, em Moçambique, na África. Elas moram em um casebre de barro, sem comida, sem remédios e sem nenhuma assistência social. Quem cuida de todos é o mais velho, de apenas 11 anos. E o mais novo tem apenas 4 anos. Fomos visitar essas crianças para saber como é a rotina delas. O que elas fazem para comer, viver e se proteger.

De São Paulo, você vai conhecer a história das sete crianças que perderam o pai e hoje são protegidas pela irmã de 17 anos. A mãe já foi presa quatro vezes por furto. Quem traz dinheiro para casa é a avó das crianças que trabalha como carroceira. As netas de 10 e 12 anos ajudam a recolher lixo nas ruas. Que vida é essa? O que elas podem esperar do futuro? O que a sociedade pode fazer por elas?

Ainda no Brasil, muita criança que vende bala nos semáforos acaba sustentando a família. É o caso da garota de apenas 13 anos que viaja mais de 200 quilômetros todos os dias e no final do mês tem que se contentar com R$ 200 recolhidos nos semáforos da grande cidade. O que a vida ensina para essa criança que não sabe o que é brincadeira? Quais os sonhos dela?

E ainda, a cruel perseguição às crianças albinas na Tanzânia, na África. Por crendice popular, elas são perseguidas. São assassinadas e tem os membros do corpo disputados por curandeiros. Em um dos casos, a criança seria assassinada pelo próprio pai para ser vendida. Com isso, vivem em total isolamento. Isso quando conseguem sobreviver, já que um albino costuma viver até os 30 anos. Essas e outras histórias de crianças órfãs pelo mundo, você vai acompanhar com Marcelo Rezende no Repórter Record, logo depois do Domingo Espetacular.

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 14.782 outros seguidores