Archive

Arquivo por Autor

GloboNews – ‘Cidades e Soluções’ mostra os preparativos para a COP-21 no fim do ano, em Paris

Leila Sterenberg e Pierre Radanne, especialista em política energética e negociação dos acordos de clima. Ele esteve em 17 COP`s.

Crédito: Globo/Divulgação
O ‘Cidades e Soluções’ desta segunda-feira, dia 1º de junho, vai a Paris para ver de perto como está sendo preparada a 21ª Conferência das Partes das Nações Unidas para Mudanças Climáticas (COP-21). O encontro internacional, que acontecerá no fim do ano na capital francesa, tem como objetivo a busca por um acordo global que viabilize a redução das emissões de gases de efeito estufa para evitar um aumento da temperatura mundial superior a dois graus Celsius. A expectativa é que o acordo entre em vigor em 2020 e substitua o Protocolo de Kyoto, de 1997.
Desde 1992, quando foi criada por conta da Rio 92, a convenção acontece praticamente todo ano.  Nessas oportunidades, os 195 países que integram as “Partes” se encontram em alguma cidade do mundo para negociar formas de segurar as emissões globais de carbono, com o objetivo de evitar o aumento excessivo da temperatura do planeta. Em 2009, havia muita expectativa para a COP-15, em Copenhague. Esperava-se que de lá saísse um acordo universal e com valor jurídico, estabelecendo os compromissos de cada país para fazer face às mudanças climáticas, mas isso não aconteceu. Na prática, o resultado desse encontro foi uma declaração de boas intenções. E as COPs que se seguiram não trouxeram mais do que pequenos avanços. Agora, há uma nova esperança em relação à Conferência de Paris. O desafio é conseguir chegar ao tal acordo universal e, com isso, definir compromissos para 2020 em diante, tendo em vista não deixar o aumento da temperatura global ultrapassar 2 graus centígrados. Segundo o IPCC, painel internacional da ONU formado por cientistas para analisar a questão do clima, se nada for feito, esse incremento pode chegar a até seis graus, com consequências catastróficas para a vida na Terra.A viagem a Paris feita pela equipe da GloboNews incluiu uma série de visitas e encontros na cidade e no sul da França. Na capital, a repórter Leila Sterenberg encontrou especialistas na negociação do acordo do clima e o secretário-geral da organização da Conferência. Ele explicou detalhes da logística do evento, que vai reunir 40 mil pessoas em Le Bourget, nordeste de Paris, por duas semanas, a partir de 30 de novembro. Na capital francesa, a equipe visitou Clicly-Batignolles, bairro que vai juntar área verde, coleta de água da chuva, telhados plantados e placas solares num complexo onde vão morar pessoas de várias faixas de renda e que terá escolas, creches e uma série de prédios de escritório. Na Prefeitura de Paris, a equipe tomou conhecimento das iniciativas que vão além dos já conhecidos Vélib e Autolib: a municipalidade quer tornar automática a circulação alternada na cidade. Para isso, pretendem usar carros com placas pares em dias pares e placas ímpares em dias ímpares toda vez que o nível de poluição do ar atingir determinado nível. Além disso, pretendem banir, até 2020, a circulação de veículos a diesel em Paris.

O ‘Cidades e Soluções’ vai ao ar nesta segunda-feira, dia 1º de junho, às 21h30, na GloboNews.

‘Fantástico': Ronaldo Fenômeno e Felipe Andreoli são convidados do ‘Medida Certa’

Conte sua história no Fantástico - Foi vítima de homofobia?
Ronaldo Fenômeno e Felipe Andreoli estão no próximo episódio do ‘Medida Certa’, que vai ao ar no domingo, dia 31, no ‘Fantástico’. Os moradores do condomínio e Fabiana Karla recebem, assim, um incentivo a mais para perder peso.  O ex-jogador lança um desafio aos participantes, que devem concluir uma prova de circuito sob o olhar atendo dos “fiscais” Felipe Andreoli e Celina Locks, namorada do Fenômeno. Ainda no episódio, Fabiana e moradores têm uma aula sobre nutrição para auxiliar na busca por uma vida mais saudável.

A reportagem especial dessa semana é sobre uma corrente de solidariedade. O correspondente Hélter Duarte vai à Califórnia e mostra como a tecnologia aliada ao altruísmo pode ajudar a salvar vidas. Seis pacientes que dependiam de hemodiálise receberam rins saudáveis graças à americana Zully Broussard, que decidiu doar um rim para um estranho e, com isso, deu início a uma cadeia de transplantes que foram realizados ao longo de dois dias. As doações foram possíveis graças a um software inovador, que, por meio de um banco de dados, armazena as informações das pessoas que precisam de um transplante e daquelas que estão dispostas a doar o órgão saudável. Vários transplantes já foram realizados nos Estados Unidos desta forma. O maior deles, envolvendo 70 doentes e 140 cirurgias.

Já ‘Álbum de casamento’ chega ao seu último episódio. Conduzido pela fotógrafa Maria Chaves, jornalista por formação, que, desde o ano 2000, dedica-se a casamentos. O público conhece a história de Madalena e Newman, juntos há 11 anos. Madalena engravidou aos 50 anos e o ‘Fantástico’ registrou o nascimento da primeira filha do casal. Já Fabiano e Adriana provam que amor de carnaval pode sim durar. Eles se casaram em 2007, no ‘Eu acho é pouco’, bloco carnavalesco em Olinda, Pernambuco. O casal relembra histórias emocionantes.

Luigi Cani volta ao programa com o quadro ‘Mestre dos Ares’. Dessa vez o voo é em Dubai. Com seu wingsuit (macacão utilizado para voos de alto desempenho), Luigi sobrevoa Palm Islands, as maiores ilhas artificiais do mundo, que têm o formato de uma palmeira. A série tem exibição mensal no programa e mostra a volta ao mundo do paraquedista que sobrevoa monumentos históricos e naturais.

Voando para o Japão, o Fantástico’ encerra o domingo com uma proposta ousada. Marcio Gomes mostra a ideia de uma empresa que quer revolucionar as viagens espaciais, construindo um elevador para o espaço. O objetivo é que tudo esteja concluído em 2050. A viagem será de 96 mil quilômetros até uma estação espacial, que, segundo a empreiteira Obayashi, levará sete dias. O elevador é reconhecidamente o método mais barato para se colocar qualquer coisa em órbita. Atualmente, levar um quilo de material para a órbita terrestre custa 22 mil dólares. Com o uso do elevador, a projeção é de um custo de 200 dólares. Isso porque não exige foguetes, combustíveis ou propulsão. Quando implantado, deve revolucionar a indústria de energia, pois painéis solares poderão ser montados no espaço. Com isso, o turismo espacial deve se tornar uma realidade. A construção desse elevador só é possível graças ao avanço da tecnologia dos nanocarbonos.

O ‘Fantástico’ vai ao ar neste domingo, dia 31, logo após o ‘Domingão do Faustão’.

‘Globo Rural’ deste domingo desvenda a tradição do assobio-de-cobra

Globo Rural - Globo Rural traz melhores momentos de 2011 - Hoje - 15/01

 

Neste domingo, dia 31, no ‘Globo Rural’, Nélson Araújo apresenta o prato assobio-de-cobra. Esse café-da-manhã reforçado, tradicionalmente consumido por tropeiros, é feito com a sobra do caldo de frango do jantar do dia anterior, farinha e condimentos. A reportagem mostra turistas que vão à Serra da Canastra, em Minas Gerais, para viver a experiência gastronômica das tropas. Para seguir a tradição, jantam caldo de frango e arroz branco e, na manhã seguinte, começam o dia com o assobio-de-cobra.

O programa também aborda a saúde dos dentes de animais, principalmente de cavalos. Essa especialidade existe no Brasil há 20 anos e vem crescendo na última década. A reportagem de Camila Marconato apresenta a história e a importância do cuidado com a saúde bucal dos cavalos. O programa ainda conversa com dois veterinários pioneiros da prática no Brasil. Um dos especialistas leva a equipe do ‘Globo Rural’ para acompanhar uma operação de implante dentário em uma onça-pintada.

O ‘Globo Rural’ vai ao ar aos domingos depois de ‘Pequenas Empresas e Grandes Negócios’.

Zorra Total – Criança sofre de “síndrome de novelite”

Armando ( Antonio Fragoso ), Estela ( Mel Maia ) e Célia ( Fabiana Karla ).

Crédito: Globo/Tata Barreto
Criança sofre de “síndrome de novelite” no Zorra
Uma criança prodígio que vive filosofando pelos cantos vira estudo de caso no episódio de ‘Zorra’ deste sábado, 30. No esquete, Armando (Antônio Fragoso) e Célia (Fabiana Karla) levam a filha, Estela (Mel Maia, em participação especial), ao pediatra por falar tudo explicadinho e formular frases com palavras rebuscadas. O médico descobre que a menina apresenta “síndrome de novelite”, que faz com que o paciente se comporte como uma criança de novela e fale igual a um adulto.

Direto do Renascimento, o programa traz a história do jovem Giovanni (Paulo Mathias Jr), que tem sonhos com as modelos dos quadros renascentistas. O adolescente precisará se explicar quando for flagrado pela mãe, Fiorella (Dani Calabresa), escondendo uma das obras de casa, considerada imprópria para menores de idade.

Ainda no humorístico, Nilson (Welder Rodrigues) chega cheio de presentes para a namorada, Juliana (Dani Calabresa), no dia do aniversário dela. Romântico, ele surpreende a amada com o bichinho de pelúcia “Ursinho Sincero”. Só que, em vez de dizeres amorosos e cordiais, ele só diz coisas trágicas sobre sua suposta fabricação e origem.

‘Zorra’ tem redação final de Marcius Melhem, Celso Taddei e Gabriela Amaral, direção geral de Mauro Farias e direção de núcleo de Maurício Farias. 

Os caminhos para parar de fumar estão no ‘Como Será? deste sábado, dia 30

Max Fercondini ajuda a limpar o fundo do mar no arquipélago de Alcatrazes, em Santos,
no último episódio do ‘Sobre as Asas

Crédito: Globo/ Divulgação

Acompanhe a viagem de Max Fercondini e Amanda Richter ao arquipélago
de Alcatrazes no último episódio do ‘Sobre as Asas’
Existem hoje no Brasil cerca de 22 milhões de fumantes, em torno de 15% de toda a população, segundo dados do Ministério da Saúde. Na véspera do Dia Mundial Sem Tabaco, celebrado em 31 de maio, o ‘Como Será?’ apresenta duas reportagens sobre o tema: na primeira, Helena Lara Resende esteve na Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e conheceu o Núcleo de Estudos e Tratamento de Tabagismo (NETT), que ajuda pessoas que desejam parar de fumar; a segunda discute os efeitos do cigarro eletrônico em Tóquio e Nova York. No estúdio, Sandra Annenberg recebe a médica Jaqueline Scholz para falar sobre novos tratamentos e dicas para quem deseja largar o vício.

Em mais uma reportagem internacional, André Luiz Azevedo explica, de Lisboa, como funciona o banco do tempo. Nele, em vez de dinheiro, a moeda de troca é o tempo. O banco já possui mais de 2 mil clientes.

O ‘Como Será?’ deste sábado se despede das aventuras do casal Max Fercondini e Amanda Richter no ‘Sobre as Asas’. Foram cinco meses de viagens, mais de 21 mil km percorridos e várias histórias contadas em 8 episódios. A última parada é no arquipélago de Alcatrazes, em Santos, onde Max e Amanda acompanham os trabalhos de pesquisa para a criação de mais uma Unidade de Conservação no litoral brasileiro para refúgio da vida silvestre.

Também vai ao ar a última reportagem do Projeto Rondon. Rogério Coutinho acompanha os alunos da Universidade de Alfenas (MG) em um encontro com produtores rurais de Salgado de São Félix, interior da Paraíba.

Reportagem gravada na cidade mineira de Aymorés apresenta o projeto Olhos D’Água, do Instituto Terra, fundado pelo fotógrafo Sebastião Salgado. Este projeto está ajudando a combater a pior seca da história do rio Doce.

O trem é o tema da semana do quadro ‘Hoje é dia de…’. Alexandre Henderson viaja na Litorina, trem de luxo da Serra do Mar paranaense, e mostra o funcionamento do Centro de Controle Operacional desta raridade brasileira. Ele apresenta dois casais cujas histórias estão intimamente ligadas ao trem: um deles se conheceu na viagem e o outro é responsável pela decoração da Litorina. O público também conhece a história da ferrovia Paranaguá-Curitiba pelo olhar dos steampunks, personagens do século XVIII e XIX que criam um mundo paralelo inspirados na era vitoriana e pós-apocalíptica. Ao fim da viagem, Henderson chega a Morretes (PR) e prova o barreado, prato típico da região.

E mais: reportagem sobre um grupo de amigos publicitários que usam seus conhecimentos para ajudar ONGs que precisam de uma mãozinha no marketing; no quadro ‘Sonho Meu’, Telma deseja trocar o trabalho com telemarketing por um food truck de massas; Débora e David são os ‘alunos nota 11’ da semana ao montar um projeto de incentivo à redução do desperdício de comida na escola; e no ‘Nós.doc’, a história de dois irmãos que viajaram pela Bahia registrando histórias de moradores de pequenas cidades no interior do país.

Sobre o ‘Como Será?’

‘Como Será?’, parceria do Jornalismo e da área de Responsabilidade Social da Globo com a Fundação Roberto Marinho, tem como objetivo compartilhar com o público experiências transformadoras, exemplos de cidadania e colaborar para a construção de um futuro melhor ao tratar de maneira integrada temas como educação, ecologia, mobilização social, trabalho e inovação. É um espaço para apresentar, conhecer e incluir pessoas e ideias, que conta com a interatividade como grande aliada. O programa vai ao ar às 7h (exceto nas afiliadas com conteúdo regional) e é reprisado na GloboNews e no Canal Futura, aos domingos, às 06h05 e às 15h, respectivamente. Maiores informações no site redeglobo.globo.com/como-sera e nas grades de programação locais.

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 14.784 outros seguidores